Título: A lenda do cavaleiro sem cabeça
Autor: Washington Irving
Ano: 2011
Número de Páginas: 72
Editora: Leya

Sinopse:  Ichabod Crane, um professor excêntrico e cético, tem seus métodos modernos e inovadores colocados à prova quando, saindo de uma festa promovida pelos Van Tassel, é caçado por um cavaleiro sem cabeça – o fantasma de um soldado – que logo desaparece. Ichabod inicia uma investigação a fim de solucionar uma série de assassinatos supostamente cometidos pelo Cavaleiro Sem Cabeça. Crane se apaixona pela bela e misteriosa Katrina Van Tassel, filha do maior fazendeiro da cidade e principal suspeito de estar por trás dos assassinatos. Um grande clássico americano em que o leitor é convidado a solucionar junto com o professor o mistério do cavaleiro...


Tire toda aquela sua ideia do filme de Tim Burton da cabeça, antes de ler essa resenha! Agora!
Não existe um lindo e branquelo Johnny Depp escondido nessas páginas, aquela fofa da Christina Ricci ou qualquer outra gente bonita nesse livro.
O livro é bem diferente de tudo o que você espera ao assistir o filme. Até porque o filme foi vagamente [vagamente mesmo] baseado no livro. Só a premissa de um cavaleiro sem cabeça ficou.

Ichabod é um professor feio, desengonçado, magro ou quase raquítico, que mais lembra uma garça. Não pela graciosidade da garça ou algo parecido, mas pela sua altura e flexibilidade. 
Ele gosta e pretende se casar com a KatrinaVan Tassel, tanto pra deixar de ser professor, morar de favor na casa dos alunos quanto pra ter dinheiro, já que a família Van Tassel é 'endinheirada'. Mas tem a sua frente um grande, feioso [também] e mau inimigo, Brom. Um cara conhecido por querer algo e conseguir, nem que seja na porrada. 

Toda a história se passa na cidade Sleepy Hollow [nome do filme] onde várias e várias lendas são contadas de geração em geração. Lendas de fantasmas, bruxas, e do Hessiano Galopante [o cavaleiro sem cabeça]. Conta a lenda que esse cavaleiro era um soldado morto durante a Guerra da Independência dos Estados Unidos, que ele levava e assustava as pessoas a partir de um ponto da cidade. Muita gente diz que sobreviveu pra contar, mas ninguém sabe se é verdade tudo isso. É uma lenda.

Mas vamos às minhas 3 estrelas:
Achei interessante o fato do autor contar a história como se estivesse conversando com a gente, de uma forma engraçada e leve. É claro que se você estiver desatento, acaba não entendendo nada do que ta lendo.
O livro conta da vida de Ichabod, sua profissão de professor, algumas curiosidades da cidade e só.
Ele tem 66 páginas, incluindo muitas com ilustrações, então aí já limita o tamanho da estória a ser contada. Não que um livro de 60 páginas não consiga contar de uma forma aprofundada, consegue sim. Mas esse não. Este livro foi vago pro título, foi mais um relato da vida de um homem que trabalhava como professor numa cidadezinha, morando de favor uma vez por semana na casa dos pais dos alunos, que queria mudar de vida e como seria difícil conseguir casar com a Katrina, pois o outro pretendente dela era um bruto quebrador de ossos.

A sinopse do livro te deixa tão empolgado pra ler, que tu acha que vai ficar assustado lendo. É TUDO MENTIRA!! Medo? Isso eu não senti lendo esse livro. Eu até ri em alguns trechos. Suspense, ação e mistério? Espera aí, não achei nada disso não, senhor!
Então se você quer algo pra ficar com medo, assista ao filme. Esse sim dá medo.

A parte gráfica está super super legal, com gravuras da floresta, do cavaleiro sem cabeça; como se tivessem feito a lápis.
Não achei nenhum erro de gramática ou falta de palavras. 
Agora vou contar pra vocês, a parte do cavaleiro sem cabeça [o pouco da ação], só veio aparecer nas 5~10 últimas páginas. É claro que eu queria mais, achei pouco!


Citações:

"O sobrenome Crane, que em inglês significa "garça", não deixava de lhe ser apropriado. Ele era alto, mas excessivamente magro, com ombros estreitos, longos braços e pernas, mãos que balançavam a quilômetros das mangas, pés que podiam funcionar como pás; e tudo isso se encaixava de maneira bem frouxa em sua figura." pág 14-15

"Aquele que vence milhares de corações comuns é, portanto, digno de certo renome, mas aquele que mantém domínio constante sobre o coração de uma coquete é de fato um herói." pág 36

"As principais histórias, entretanto, corriam em torno do espectro favorito de Sleepy Hollow, o Cavaleiro Sem Cabeça, que recentemente fora ouvido várias vezes patrulhando a região, e diziam que à noite amarrava seu cavalo entre os túmulos do pátio da igreja." pág 54

Curiosidade:
Esse livro é da coleção "Eternamente Clássicos" [são obras muito conhecidas que viraram até filmes ou peças de teatro] de mais de 4 clássicos que a editora publicou, e serve muito bem para ser aplicado no 7º, 8º e 9º ano nos colégios.
Alguns dos outros livros são "O Mágico de OZ", "O Fantasma de Canterville", "O Jardim Secreto" e "Corcunda de Notre Dame".



10 Comentários

  1. Ah, quero ler. Eu adorei o filme, bem como adoro o Christopher Walken (o sem cabeça). Capaz de não gostar mais do filme depois de ler o livro, mas estou aprendendo a separar livros e filmes =]

    ResponderExcluir
  2. Já assisti o filme e adorei! Com Johnny Depp, é baseado na obra original "The Legend Of Sleepy Hollow", de Washington Irving, e faz uma excelente mistura à la Johnny Depp de comédia e suspense. Recomendo! =)

    ResponderExcluir
  3. Faz algum tempo que assisti ao filme, mas nem lembro da história mais.
    Realmente pela sinopse o livro desperta interesse, mas pela resenha não deve ser lá essas coisas.

    Beijos da Lua =*
    www.tyciahadiresenhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Dessa coleção de eternamente clássicos só tenho o livro O corcunda de Notre Dame, quero comprar os outros para completar a minha coleção. Esse livro é bem pequeno, quero ler ele e ver se compartilho da mesma opinião que você.

    ResponderExcluir
  5. Hum jura que não tem um Johnny Depp perdido nas páginas do livro??? Isso é muito triste Nanda, como assim era o que me movia a querer ler esse livro algum dia!!! Rs brincadeiras a parte adorei saber sua opinião sobre o livro, mas confesso não sei se quero mesmo ler.

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que legal, fiquei com vontade de ler, parabéns pela resenha, você sabe fazer isso muito bem e é ótimo o livro... Vou baixar o filme pela internet pra assistir, depois te conto o que eu achei ok? *-*

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  7. Que legal! Desses só conhecia O mágico de Oz e o Corcunda de Notre Dame. Fiquei curiosa pra ler o livro e nem um pouco pra ver o filme, tenho medo hahaha

    ResponderExcluir
  8. Já ouvi falar, mas nunca tinha lido nada sobre ele. Não é que parece legal? Adorei as citações!
    Bjs.
    endless-books.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Gostei bastante da resenha. Eu não tinha ouvido falar dele, então achei bem interessante...Se tiver a oportunidade eu vou ler, com certeza...
    O filme eu gostei e realmente senti um pouco de medo...Gostei muito dos pontos positivos enfatizados na sua resenha, mas achei meio chato o fato de nem ter tanta ação, só no final.
    Gosto de livros dinâmicos e que fluem...espero que esse seja assim...
    Bjinhooo

    ResponderExcluir
  10. Eu particularmente Adorei o livro, muito mais do que o filme, que não tem nada a ver com o livro. Prefiro muito mais as obras originais do que as adaptações que são feitas para serem levadas ao cinema.

    ResponderExcluir

Oi! Que bom que olhou e veio comentar.
Não esqueça de deixar sugestões, opiniões, dúvidas e/ou reclamações.
Seja bem-vindo!