Título: Eu Sou o Número Quatro / Os Legados de Lorien - Livro 1
Título Original: I Am Number Four
Autor: Pittacus Lore
Ano de Lançamento: 2011
Editora: Intrínseca
Número de Páginas: 350
ISBN: 9788580570137
Gênero: Ficção/Romance


Sinopse:
Nove de nós vieram para cá. Somos parecidos com vocês. Falamos como vocês. Vivemos entre vocês. Mas não somos vocês. Temos poderes que vocês apenas sonham ter. Somos mais fortes e mais rápidos que qualquer coisa que já viram. Somos os super-heróis que vocês idolatram nos filmes e nos quadrinhos — mas somos reais. Nosso plano era crescer, treinar, ser mais poderosos e nos tornar apenas um, e então combatê-los. Mas eles nos encontraram antes. E começaram a nos caçar. Agora, todos nós estamos fugindo. O Número Um foi capturado na Malásia. O Número Dois, na Inglaterra. E o Número Três, no Quênia. Eu sou o Número Quatro. Eu sou o próximo.



O livro já começa numa correria, querendo te prender e te deixar sem fôlego. 
Foi assim que me senti, nas 3 primeiras páginas e nas 80 páginas finais. Um corre corre desenfreado em busca da sobrevivência. Mas entre essas páginas, eu meio que perdi o interesse, e pensei em diversas vezes abandonar a leitura dele. Só que eu continuei pra ver se ficava mais legal...

Tudo começa quando Lorien, uma terra distante da nossa, é atacada e devastada pelos mogadorianos, da terra Mogadore. Eles matam mulheres, homens, idosos, crianças, animais, vegetação, enfim, matam tudo que é vivo na terra. Afim de utilizar todos os recursos para o bem deles. 

Grande parte da população loriena morre, mas alguns são salvos. Esses que a partir de agora são numerados. Eles não podem ser mortos fora da sequência, porque senão, aquele mogadoriano que tentar machucar um Garde [lorieno com poder do tipo, telecinese, proteção ao fogo, invisibilidade, falar com animais], ele vai machucar a si. Como se fosse um bate e volta.
O problema é que se esses números se encontram, o poder que os mantem a salvo se quebra, e eles podem ser mortos fora da sequência. 

John é um Garde, e Henri é um Cêpan [aquele que protege e ensina as habilidades aos Gardes]. Eles precisam mudar constantemente de cidade para não ser encontrado pelos mogadorianos.
Eles se mudam para Paradise, Ohio, EUA. Lá John começa a estudar numa escola pequena, conhece Sarah e se apaixona a primeira vista [super adolescente essa parte, à propósito, não gostei. Achei meio chatinho, assim como o amor deles e como era contado e a garota. Sarah é super sem graça e não acrescentou em nada na história. Só nas partes finais que ela fez diferença, mas não vou contar senão vira spoiler]. Faz amizade com Sam, um garoto magrela que é aficionado em estórias sobrenaturais, aliens, essas coisas [outro personagem bobinho, mas fez mais coisa que a Sarah, e com certeza acrescentou mais rs]. John já faz inimizade com Mark [um quarterback do time de futebol do colégio], porque ele era namorado de Sarah e ela não queria mais papo com ele. Ciúmes, é claro!
Em Paradise, ele conhece um cachorrinho super fofo, o Bernir Kosar, que é como um cão fiel. E ele foi o único personagem que eu adorei. hehe

A história é narrada por John, se desenrolando numa linguagem fácil, rápida e por alguns momentos bem cansativas.
Nas partes das guerras, dou um parabéns ao autor, pelos detalhes de cenário, golpes, lutas, e sensações dos personagens. Me senti no meio dos fogos cruzados, e na correria alucinada.

Esse livro ta oscilando entre 3,5 e 4, mas vou dar nota 4, pelo simples fato de me empolgar, depois me entediar e depois me empolgar de novo e me deixar com uma leve vontade de ler o livro dois. Claro que não vai ser tão cedo. Já que esse livro foi desgastante. Meio chato, como eu disse.



Pontos fortes: linguagem fácil, rápida;
Originalidade em numeração dos aliens;
Em algumas partes me fez rir [olha que legal \o/]

Pontos fracos:  linguagem por alguns momentos bem cansativas;
Amor entediante entre Sarah e John [Na verdade não consegui acreditar nesse amor desses jovens de 15 anos];
Mark um personagem sem muito sentido na estória.

Citações:

"- Percebe que essas pessoas não são vampiros, não é? - eu pergunto quando Sam retorna.
- Sim, mas nunca se sabe. Eles são malucos, provavelmente, como você disse.
- E mesmo que estivéssemos caçando vampiros, para que usaria massinha de modelar?
- Não custa se preparar. - Ele dá de ombros." página 180

"- Como eles eram? - Henri pergunta.
- Como fantasmas. Quase tão pálidos quanto albinos. E usavam óculos de sol, mas quando nos recusamos a falar, um deles os tirou. Tinha olhos negros e dentes pontiagudos, só que não pareciam ser naturalmente afiados, como os de um animal. Tive a impressão de que haviam sido quebrados e lixados. Todos usavam sobretudos e chapéus, como num filme antigo de espionagem." página 199

"- O que acontece se tentarmos ter filhos com humanos?
- Aconteceu muitas vezes antes. Normalmente, o resultado é um humano excepcionalmente talentoso e com muitas habilidades. Algumas das grandes figuras da história da Terra eram filhos de humanos e lorienos, como Buda, Aristóteles, Júlio César, Alexandre, o Grande, Gêngis Khan, Leonardo da Vinci, Isaac Newton, Thomas Jefferson e Albert Eisntein." página 221-222


Então gente, vocês concordam com a nota que eu dei?
Já leram o livro? Me recomendam o segundo?
Comentem! Adoro ler a opinião de vocês. ^-^

Beijos...

Resenha no skoob aqui.
Comente e ganhe chance extra nesse sorteio.


15 Comentários

  1. Olha, ja vi muuitas resenhas positivas sobre este livro!
    Adorei sua resenha, pelo visto o livro pode ser bom mesmo :D
    beijos
    http://nolimitedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode sim. Mas vai valer mais pelo gosto do leitor.
      Tem gente que não gosta desse gênero, ou o jeito como foi contado.
      Eu gostei em algumas partes.
      Mas não achei o melhor do mundo! rs

      Obrigada, que bom que gostou :)

      beijos!

      Excluir
  2. Adoreii a resenha sobre o livro, parece ser ótimo!
    beijão
    http://anaclaudiac.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nunca ouvi falar desse livro... mas pela resenha ele parece ótimo!!!
    obrigada pela ótima dica!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu parei de ler EU sou número quatro.
    Não curti muito não.

    beijinhos,
    Thais Priscilla
    http://thaypriscilla.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quase que largava, deu uma cansada no meio.
      Mas consegui terminar, e a parte final foi a mais legal. rs

      bjos!

      Excluir
  5. oi,
    otima resenha
    eu li essse livro e curti muito!!! tanto que tenho ele em portuges e em ingles!!
    e tbm amei o filme!!!
    adorei seu blog, muito lindo!
    estou te seguindo, segue o meu tambem
    http://lostgirlygirl.blogspot.com.br/

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, em dois idiomas? rsrs gostou mesmo.

      O filme eu ainda não assisti, mas já to me programado pra ver :D

      Obrigada! :)
      Volte sempre que possível! E seja bem vinda.
      Vou dar uma olhada no seu, sim ^^

      beijos!

      Excluir
  6. Ananda eu quero tanto ler esse livro , todo mundo diz que é muito bom e agora com essa resenha incrivel eu quero comprar ele nesse instante.
    Odeio ser pobre hhaahah'

    E sobre o hipnotista realmente tem bastante sangue e tramas se amarrando é muito bom . O sentido da capa só aparece no fim .

    BjBJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha odeio ser pobre² :/

      A sim, então deve ser bem legal ^^

      bjos!

      Excluir
  7. Ah eu tava louca pra assistir o filme *-*
    Mas o livro eu nunca vi D:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu não vi foi o filme. hehe
      O livro é bom! ;)

      Excluir
  8. Ok, já não faz mais sentido comentar nesse post, já que é tão antigo, mas acho que vale a pena contra argumentar determinados pontos. Eu, particularmente, amo essa série. Sou apaixonada e li os três livros já lançados. Quanto ao Eu Sou o Número Quatro, realmente, ele tem seus pontos altos e baixos, que, acredito eu, acontece em todos os livros também. Certo, a questão do Mark. Levemos em conta de que o próprio autor já deixou claro várias vezes em entrevistas que a história é escrita conforme os acontecimentos ocorrem. Ou seja, Mark foi só um empecilho, um pequeno obstáculo para John na conquista de Sarah. As cenas de luta são sensacionais mesmo. O livro em si é bem detalhado, o que, na minha opinião, prende o leitor. O problema é quando ele detalha pontos desnecessário do enredo. Eis então que temos um ponto baixo de um livro.

    Enfim. É só minha opinião. Até mais!
    http://danngomide.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Oi! Que bom que olhou e veio comentar.
Não esqueça de deixar sugestões, opiniões, dúvidas e/ou reclamações.
Seja bem-vindo!